• LinkedIn
  • Instagram

Dr. Terumitsu Sekito Jr: oportunidades e desafios do mercado em ascensão de lentes de contato dental

setembro 19, 2017 | por Cursos Evolua | blog

Uma técnica queridinha dos artistas pela grande transformação estética que proporciona, o tratamento com lentes de contato dental vem caindo no gosto do público geral. De acordo com a Sociedade Brasileira de Odontologia e Estética, a procura pelas lentes aumentou 300% nos últimos anos. Essa procura tem sido atestada pelos profissionais de odontologia, que vem observando demanda crescente pelo tratamento. É o caso do Dr. Terumitsu Sekito Jr, um dos principais especialistas e professores da técnica no país, titular do Curso Intensivo em Laminados e Lentes de Contato Anteriores do Evolua Cursos e Treinamentos.




Segundo Sekito, mais que aquecido, o mercado de odontologia e estética para lentes dentais está em expansão e carece de profissionais especializados para atender à demanda que só faz crescer. “Não temos ainda uma quantidade de profissionais especializados suficientes para esse mercado, e a demanda está ascendendo bastante”, atesta. E com esse crescimento e uma série de profissionais não habilitados oferecendo o tratamento, Sekito acredita que outro mercado está se abrindo, o de correções dos casos mal realizados. Esses casos acontecem quando os profissionais não foram devidamente habilitados para a prática. O ideal, segundo Sekito, é que o dentista tenha uma especialização em dentística ou em prótese. No entanto, ele admite que clínicos também podem fazer esse serviço desde que tenha uma formação adequada. “Quando eu falo clínico, eu percebo que chegam para o curso ortodontistas periodontistas, mas que fazem um trabalho clínico. Então, apesar de não ser bem a especialidade desses profissionais, eles fazem uma imersão nesse tipo de trabalho e conseguem, mediante um bom treinamento, ingressar na área de lentes de contato. Mas é importante que haja um engajamento para que ele consiga se adequar em uma nova especialidade”, afirma o professor. O investimento do profissional para passar a oferecer a técnica vai além da formação: “Existe um investimento inicial que envolve a aquisição de material mais específico, como brocas, materiais de moldagem, resinas bisacrílicas cimentos específicos para lente, que geram um custo inicial razoavelmente alto”, explica Sekito. No entanto, a expectativa de retorno também é alta pois o procedimento ainda pode ser considerado raro no mercado: “É um serviço muito especializado, muito específico. Pouquíssimos laboratórios conseguem realizar com ótima qualidade. Os profissionais precisam fazer um investimento alto em formação e equipamento, o que também encarece o procedimento”, conta o professor. Para quem deseja se aventurar nesse mercado, Sekito explica que o profissional deve ter uma visão bastante multidisciplinar de periodontia em relação à ajuste de sorriso e também de ortodontia, para a necessidade de fazer pequenas movimentações. “Ele ainda tem que ‘maestrar’ vários profissionais para finalizar o caso. Então o planejamento é desafiador. O planejamento é, na verdade, o que vai determinar um resultado bonito ou não. Portanto, essa noção de várias especialidades é um dos maiores desafios. E além disso, é preciso que o técnico de laboratório seja altamente especializado”, opina. Para quem se interessou no curso de imersão do Dr. Sekito, oferecido no Evolua, o professor explica que se trata de sair da zona de conforto do consultório e conseguir acessar novas possibilidades de tratamento estético minimamente invasivas que não são aquilo a que o profissional está acostumado: acréscimos em resina direta e coroas totais. “Ou seja, existe um nicho entre resina direta e reabilitações em coroa total, que são as lentes. Normalmente, o clínico faz o máximo que consegue em resina direta e depois pula para coroa total. E saber preencher esse nicho entre resina direto e coroa total é o motivo desse curso de facetas laminadas e lente de contato. Então, é isso que a gente pretende passar para eles no tempo disponível. É um curso de imersão, com muita informação concentrada em dois dias”, finaliza Sekito.